A vizinha Campinas faz alerta para nova variante do coronavírus

Saúde de Indaiatuba garante que não há registros da nova variante aqui, mas recomenda cuidados para moradores que circulam na cidade vizinha

A suspeita de uma nova variante do coronavírus circulando em Campinas, levou o Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) a fazer um alerta na tarde desta quarta-feira (17/2). A medida foi tomada após o órgão municipal registrar um aumento de casos e internações na cidade. Em razão disso, a Secretaria Municipal de Saúde conseguiu autorização para realizar o sequenciamento genético de pacientes junto ao Instituto Adolfo Lutz.

A nova variante da covid-19, cepa detectada em Manaus, foi chamada de P1, que é considerada mais infecciosa. O Instituto Adolfo Lutz fará o sequenciamento genético do coronavírus em pacientes graves, em menores de 40 anos e em casos de reinfecção em Campinas.

De acordo com a Secretaria, a taxa de transmissão do coronavírus está em 1,2, ou seja, cada 100 infectados transmite o vírus para 120 pessoas.

Segundo a diretora da Vigilância em Saúde, Andrea Von Zuben, trata-se de suspeita de que a variante possa ser responsável pelo avanço da doença. Outra hipótese é que o aumento da transmissão possa ser decorrente das aglomerações que vêm sendo registradas em Campinas, em festas clandestinas.

Na segunda-feira, dia 15/2, a Secretaria de Saúde confirmou um caso da variante amazonense na cidade, em uma idosa que chegou a Campinas em 14 de janeiro, num voo direto de Manaus. Ela desembarcou com sintomas de Covid-19 e foi internada em um hospital particular, onde permaneceu até 25 de janeiro.

Segundo a diretora da Vigilância, até terminar o período de contágio, a mulher não circulou pela cidade. “Nós monitoramos os passageiros que estavam próximos dela no avião e também suas duas filhas, que ficaram em isolamento em um hotel”, disse.

Andrea avalia, no entanto, que outra pessoa infectada pela variante amazonense possa ter chegado à cidade, sem que a área da saúde tivesse sido informada. “O sequenciamento genético vai nos ajudar a entender o motivo do avanço de casos”, afirmou.

INDAIATUBA

A Secretaria Municipal de Saúde de Indaiatuba disse que não há casos de variantes na cidade, entretanto orientou para que moradores que necessitam ir para a cidade vizinha tome os cuidados recomentados para evitar a contaminação, como o uso da máscara, o distanciamento social e a higienização frequente das mãos.

(Com informações da Prefeitura de Campinas)