Decisão sobre nova prorrogação da fase emergencial sairá na sexta-feira

"É bem provável que nós continuemos com os níveis de restrição, que nós temos hoje", disse Paulo Menezes

Por Patrícia Lisboa

O governo do Estado decidirá sobre nova prorrogação da fase emergencial do Plano São Paulo, na próxima sexta-feira (9/4).

Em entrevista coletiva, nesta quarta-feira (7/4), o coordenador do Centro de Contingência do Estado, Paulo Menezes, disse que “é provável” que as restrições da fase emergencial sejam mantidas por mais algum tempo, sem especificar quanto.

O governador João Doria (PSDB), antecipou que atenderá a recomendação da área científica.

“O Centro de Contingência está discutindo a situação. Nós, felizmente, conseguimos uma desaceleração. Já há esses indicadores de melhora, pequena, mas é uma melhora e que deve prosseguir nas próximas semanas.

Estamos discutindo a necessidade de extensão ou não da fase emergencial. Na sexta-feira, nós vamos passar a recomendação do governo, que vai decidir como encaminhar essa recomendação. É bem provável que nós continuemos com os níveis de restrição, que nós temos hoje, por mais algum tempo”, disse o coordenador do Centro de Contingência, Paulo Menezes.

As medidas mais rígidas de restrição de circulação e atividades estão em vigor nas 645 cidades do Estado desde o dia 15 deste mês, para frear o aumento de casos e mortes por covid-19 e reduzir a sobrecarga em hospitais públicos e particulares.

O primeiro período estipulado encerraria no dia 30 de março, mas, no último dia 26, o governo decidiu estender a fase emergencial até o próximo dia 11.

Para reforçar o distanciamento social e reduzir a circulação urbana, a fase emergencial aumenta restrições de algumas atividades comerciais autorizadas na etapa vermelha do Plano São Paulo – que só permite atividades essenciais e fecha academias, cinemas, entre outros.

Estão proibidas as retiradas presenciais de produtos em restaurantes e lanchonetes, o atendimento presencial em lojas de material de construção, as celebrações religiosas coletivas e atividades esportivas em grupo.

Lojas e restaurantes só podem fazer entregas a clientes dentro de veículos (drive-thru), entre 5h e 20h, ou por entrega em sistema delivery por telefone ou aplicativo.

Não há restrição ao funcionamento de supermercados. Mercearias e padarias podem funcionar seguindo as regras de mercados, com proibição de consumo no local.

O teletrabalho é obrigatório para todas as atividades administrativas não essenciais do serviço público e também na iniciativa privada. Todas as medidas visam reduzir a circulação de ao menos 4 milhões de pessoas por meio das restrições adicionais.