Eleitores já fazem filas para tirar e transferir títulos

Cartório eleitoral emitirá os documentos até 9 de maio; em Indaiatuba, a biometria não é obrigatória

Por Mariana Corrér

Quem quiser votar nas Eleições 2018 tem até 9 de maio para solicitar seu título de eleitor. Em Indaiatuba, a biometria não é obrigatória, ou seja, quem está em dia com a Justiça Eleitoral, não precisa ir ao cartório para cadastrar a digital.

O prazo de 9 de maio vale para alterar dados cadastrais, transferir domicílio e seção (eleitores com deficiência podem pedir transferência para uma seção acessível), emitir o primeiro documento e também para presos provisórios regularizarem sua situação. Quem já teve seu título cancelado e quiser acertar a situação tem a mesma data. O primeiro turno das eleições deste ano será realizado no dia 7 de outubro.

Faltando mais de um mês e meio para a data-limite, eleitores já fazem fila no Cartório Eleitoral de Indaiatuba, que distribui senhas de atendimento a partir do meio-dia.

Boa parte do pessoal estava lá para tirar o primeiro título. É o caso da Hadassa Carnieri, de 19 anos. Ela foi até o cartório porque essa é a primeira eleição que será obrigada a votar. A estudante chegou na fila por volta das 11h30 para garantir a senha.

O primeiro título também foi o motivo pelo qual Bruna Souza e Barbara Madeira, ambas de 22 anos, estavam na fila, porém a situação delas é diferente. Nenhuma das duas tirou o documento com 18 anos e, por isso, já perderam eleições. Para acertar as contas com a Justiça Eleitoral, tiveram que pagar a multa por cada abstenção.

“Tive que vir semana passada, pegar a senha e ir pagar as multas, agora estou esperando a senha de novo para finalizar”, contou Barbara, na fila, terça (13/3) de manhã. “Tive que me programar para vir hoje e não deixar para última hora; só espero que consiga resolver tudo”, disse Bruna.

Quem passou pelo mesmo processo foi Lucilena Borges, que foi fazer sua transferência. “Vim, enfrentei uma fila bem rápida, peguei a guia para pagar as abstenções e agora voltei para finalizar o título”, revelou a comerciante no mesmo dia.

Os horários de funcionamento seguem os mesmos por enquanto, sempre a partir do meio-dia. “Os horários diferenciados e estendidos dependem de determinação do Tribunal Eleitoral, então pelo menos até o fim desse mês, seguimos desta forma”, esclarece Lilian.

Ao meio-dia, começa a distribuição de 50 ou 55 senhas.

Biometria

A biometria não é obrigatória na cidade, ou seja, quem está em dia com a Justiça Eleitoral, não precisa ir ao cartório para cadastrar a digital.

A chefe da 211ª Zona Eleitoral, do cartório de Indaiatuba, Lilian Dalva Silva de Lima, reforça essa informação e pede que apenas o pessoal que precisa acertar sua situação compareça ao cartório. “Quem fizer tirar o primeiro título ou alterar seus dados já fazem a biometria, mas ela ainda não será utilizada nessa edição”, avisa. Essas Eleições devem ser híbridas, com algumas escolas utilizando a biometria como teste, mas ela não é obrigatória para votar.

Agendamento

Regiane e Marcelo Oliveira não são de Indaiatuba, vieram para cá há 12 anos, mas votavam fora da cidade. Agora, decidiram trazer o título para o município e tentam desde novembro fazer a transferência. “Nos informaram que poderíamos iniciar o pedido pela internet, fazendo o agendamento, mas o site não funciona, só dá problema no sistema e não permite que a gente agende”, explicou Marcelo. “Então ligamos no Cartório e disseram que a gente poderia vir direto fazer a transferência”, completou a esposa.

Sueli Alonso estava na mesma situação: não conseguia fazer o pré-agendamento pelo site e foi até o cartório. “Cheguei aqui e constava no sistema que eu tinha uma multa, mas eu votei todas as vezes. Voltei pra casa, achei meu comprovante e vou tentar resolver a situação”, comentou a aposentada, na fila.

Lilian explica que o problema desse agendamento é que todos os horários estão preenchidos. Quem conseguiu marcar o horario pelo site pode ir direto ao cartório; quem não conseguiu vaga precisa pegar as senhas no próprio local.

Documentação

Ao se dirigir ao cartório eleitoral, o cidadão deve levar consigo os seguintes documentos: título de eleitor, quando já o possuir; um comprovante de residência (sempre que possível, em nome do eleitor e, para os casos de transferência, com antecedência mínima de três meses); um documento oficial de identificação pessoal contendo, no mínimo, nome, filiação, data de nascimento e nacionalidade; e o comprovante de quitação militar, quando do sexo masculino.