Em campanha eleitoral, Skaf visita Indaiatuba

O candidato a governador de São Paulo, Paulo Skaf (PMDB), esteve em Indaiatuba no início da tarde de hoje (19/09). Por volta das 13h30, com uma hora de atraso, ele atendeu a imprensa na Associação das Empresas de Serviços Contábeis de Indaiatuba. Depois, se reuniu com lideranças políticas e voltou para São Paulo. Durante entrevista coletiva de cerca de 15 minutos, ele falou sobre as propostas de trabalho nas áreas da educação, saúde e segurança pública. “Vou tentar transformar o Estado de São Paulo referência em tudo”, resumiu. Skaf também falou sobre a expectativa da decisão da eleição para o cargo majoritário do Estado ser levada a segundo turno.

Se eleito, Skaf prometeu iniciar, em 2015, o que chamou de uma “revolução” na educação. “Hoje, as escolas estão em péssima situação, sem laboratórios, com professores desrespeitados e, muitas vezes, desestimulados. As crianças passam de ano sem aprender”, criticou. Ele prometeu reformar escolas, valorizar os professores e implantar o ensino integral em todo o Estado, projeto esse que, segundo ele, tem prazo de dez anos para ser concluído e que, até 2024, atenderia 2,2 milhões de alunos. Ele também disse que quer possibilitar que os estudantes do ensino médio cursem, consecutivamente, uma escola técnica – como já é feito, em Indaiatuba, por meio da Fiec. “Assim, com 18 anos, o aluno terá uma educação básica de qualidade e um curso técnico”, disse.

Para a área da saúde, o candidato pemedebista prometeu, caso seja eleito, fazer um “choque de gestão”.  “Assim como outras áreas, a saúde está mal gerida. Há hospitais sem equipamentos ou com equipamentos ultrapassados. Quando tem equipamento, não tem médico. Há espera de até um ano para fazer exame”, disse. Faz parte da proposta do candidato a construção de novos hospitais na região. Ele também prometeu a construção de novos Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs); a criação do cadastro único de prontuários dos pacientes do Estado e a concessão de isenção do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) aos hospitais filantrópicos como forma de baratear os custos com as compras de materiais e equipamentos.

A principal proposta de Skaf para a segurança pública é a desburocratização dos procedimentos, como os registros de ocorrência. “Os policiais ficam parados por horas, sem fazer a segurança nas ruas, para registrar uma ocorrência. A Polícia Civil não investiga porque também fica ocupada com a burocracia. Isso tem que acabar. Se eu tiver a oportunidade, também vou equipar as viaturas, buscar inovação, valorizar os policiais. O governador tem que comandar as polícias”, defendeu. “O nosso governador é tão invisível que as pessoas pensam que a segurança pública não é responsabilidade dele, mas é”, alfinetou.

Questionado pelo blog sobre a estratégia que usará na reta final da campanha eleitoral para alavancar nas pesquisas de intenção de votos, já que, na última enquete, ocupava o segundo lugar, atrás do atual governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tinha 49%, Skaf manteve o discurso da “renovação” e disse que está otimista com a possibilidade de haver segundo turno – o que aumentaria suas chances de eleição. “Sinto, andando pelas ruas, grande vontade das pessoas pela mudança. Os eleitores estão cansados do PT e do PSDB. Além disso, historicamente, a maioria das pessoas decide em quem votar na última semana ou dez dias antes da eleição. Então, a expectativa é de crescimento (nas intenções de voto) e que haja o cenário de segundo turno”, concluiu.

O terceiro colocado na última pesquisa de intenção de voto para governador era o candidato do PT, Alexandre Padilha, que aparecia com 9%. 

Além de Skaf, Alckmin e Padilha, também disputam o cargo de governador de São Paulo, os candidatos Gilberto Maringoni (PSOL), Gilberto Natalini (PV), Laércio Benko (PHS), Raimundo Sena (PCO) e Wagner Farias (PCB). 

(Foto: Eduardo Turati/Tribuna de Indaiá - Candidato a governador de São Paulo, Paulo Skaf (PMDB), concede entrevista coletiva na Associação das Empresas de Serviços Contábeis de Indaiatuba)