Em cinco dias, marido e mulher morrem vítimas da covid-19 em Indaiatuba

Caso expõe o quanto a doença pode ser arrasadora na vida de uma família

Por Patrícia Lisboa

Um caso ocorrido, em Indaiatuba, na última semana, expõe o quanto a covid-19 pode ser arrasadora na vida de uma família: em apenas cinco dias, marido e mulher morreram vítimas da doença. Eles deixaram duas filhas e três netos.

Em meio a dor do luto, uma das filhas do casal, a dona de casa Cibele Batista da Silva dos Santos, de 39 anos, aceitou dar entrevista para o Blog da Pimenta, nesta segunda-feira (18/5). “É importante para conscientizar as pessoas”, afirmou.

Cibele começou contando que os pais – seo Manoel Rosa da Silva, de 74 anos e dona Jadilce Bastista da Silva, de 77 anos – já eram aposentados, mas continuavam muito ativos. “Todos os dias, faziam caminhada no Parque Ecológico, ali no Jardim Morada do Sol, onde eles moravam. Estavam sempre juntos”, contou.

Como o casal estava acostumado a estar sempre em atividade, Cibele afirma que foi difícil aceitar a quarentena por causa da pandemia de covid-19, apesar da orientação das filhas. Cibele disse que suspendeu a visita aos pais na quarentena, mas manteve o contato diário por telefone.

“Meus pais não levaram o coronavírus muito a sério, não usaram muito a máscara. Meu pai dizia que não ia ficar parado. Minha mãe ia ao supermercado e continuou frequentando a igreja de terça, quinta e domingo. Meu pai não ia à igreja. Só minha mãe. Ela não perdia um dia”, revelou Cibele.

“Não há como afirmar, mas, todo mundo que me manda mensagem suspeita que minha mãe pegou a covid na igreja. Precisam falar para o Gaspar (Nilson Gaspar, o prefeito) fechar as igrejas. É um perigo”, disparou Cibele, ainda em choque pela perda dos pais.

O casal tinha diabetes e hipertensão, mas, de acordo com a filha, as doenças estavam controladas.

Segundo Cibele, por telefone, no dia 27 de abril, a mãe reclamou para ela que estava se sentindo fraca. No dia seguinte, 28 de abril, buscou atendimento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) 24h, no Jardim Morada do Sol, onde permaneceu até o dia 29 de abril. No dia 30 de abril, dona Jadilce foi internada no Haoc (Hospital Augusto de Oliveira Camargo).

Do dia 28 de abril em diante, as filhas e o marido não puderam mais ver dona Jadilce, por causa da suspeita de covid-19.

Enquanto a mãe estava internada, seo Manoel ficou em casa, isolado, porque havia a suspeita de que ele também tivesse sido contaminado pela covid-19. Segundo Cibele, o pai só começou a sentir-se mal no dia 4 de maio. Também passou por atendimento na UPA, depois, foi transferido para o Haoc.

Internados no mesmo hospital, a partir do dia 6 de maio, dona Jadilce e seo Manoel não puderam se ver. As filhas, que já estavam distantes da mãe, também não puderam mais ver o pai.

No dia 10 de maio – Dia das Mães – seo Manoel não resistiu à covid-19. Cinco dias depois, dia 15 de maio, dona Jadilce também morreu vítima da doença. A Secretaria da Saúde de Indaiatuba confirmou a morte do casal por covid-19.

“Não dá para acreditar. Parece um pesadelo perder os dois sem nem poder dar adeus. A minha sensação é que eu estou louca”, desabafou Cibele. “Não há nada que substitui o pai e a mãe. As pessoas precisam se conscientizar sobre essa doença. É muito sério”, concluiu.

RESPOSTAS

O Blog da Pimenta procurou a igreja que dona Jadilce frequentava. A informação da direção é que a unidade funciona de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde, para evitar a contaminação pela covid-19, com 30% da capacidade, sem aglomerações. Também disponibiliza álcool gel e faz a medição de temperatura para identificar eventual febre nos frequentadores. A direção informou ainda que descarta a hipótese de que dona Jadilce tenha sido contaminada no local. Para idosos e pessoas com comorbidades, a orientação da direção é para que não frequente a igreja, neste momento.

A Prefeitura também foi procurada para falar sobre o assunto e respondeu com a seguinte nota:

“O Governo Federal incluiu culto como atividade essencial. O que não pode ocorrer é aglomeração e quanto a isso, a Prefeitura tem orientado e notificado as igrejas no município. Além disso, a Administração Municipal solicita e conta com a colaboração da população para que todos os cuidados de higiene e sanitários sejam seguidos e respeitados.”

OUTROS LOCAIS

Os supermercados são estabelecimentos considerados essenciais e, por isso, funcionam normalmente na quarentena, mas devem cumprir regras de higiene, para evitar a contaminação pelo novo coronavírus, que causa a covid-19.

As caminhadas no Parque Ecológico não são proibidas, mas a orientação da Prefeitura e das autoridades da Saúde é para que as pessoas fiquem em casa, para evitar a disseminação da doença e, se for necessário sair, é preciso usar máscara.

A quarentena segue até o dia 31 deste mês, em todo o Estado de São Paulo.

LUTO

O Blog da Pimenta lamenta a perda irreparável da família.