Entra no ar o horário eleitoral gratuito

A veiculação do horário eleitoral gratuito teve início hoje. O primeiro conteúdo exibido na estreia do programa, na televisão, foi uma mensagem de arquivo do ex-candidato à presidência, Eduardo Campos (PSB), que morreu vítima de um acidente aéreo na semana passada. A frase destacada foi: “Não vamos desistir do Brasil”. 

A segunda propaganda exibida foi a do PCB, que tem como candidato à presidência Mauro Luís Iasi. O secretário-geral do partido, Ivan Pinheiro, defendeu o “poder popular”. 

Pelo PSTU, o presidenciável José Maria de Almeida, o Zé Maria, lembrou as manifestações das ruas, frisou que o Brasil é “um País injusto e desigual” e defendeu a luta por mudanças.

O candidato à presidência pelo PSDB, Aécio Neves, abriu sua propaganda com uma mensagem a Eduardo Campos e lembrou que os dois se conheceram durante a campanha das Diretas Já, na década de 80, quando ele estava ao lado de seu avô, Tancredo Neves, e Eduardo, também de seu avô, Miguel Arraes. 

Após a homenagem, Aécio teceu críticas ao governo Dilma e destacou: “A inflação bate à porta. A economia parou de crescer e os empregos desapareceram.”

O PT, da presidente Dilma Vana Rousseff, candidata à reeleição, começou sua propaganda destacando as ações de combate à miséria, por meio do programa Bolsa Família, e afirmou que o governo petista foi o que mais distribuiu renda.  Os programas Pronatec, Mais Médicos e a descoberta do Pré-Sal também foram destaques. O ex-presidente Lula também participou da propaganda e pediu voto à Dilma, destacando a importância do segundo mandato consecutivo. 

O candidato ao cargo de presidente da República, José Levy Fidelix da Cruz, o Fidelis, do PRTB, criticou o crescimento da violência com destaque para os casos de homicídio, a deficiência da rede pública de saúde, o transporte e a corrupção. 

O PSDC, que concorre ao cargo majoritário com José Maria Eymael, também criticou o avanço da violência, disse que o sistema tributário é “injusto” e defendeu o rigor na aplicação da Constituição Federal. 

Pelo PCO, Rui Costa Pimenta, defendeu o socialismo e disparou que o Brasil vive uma “ditadura” por prender jovens que participam de manifestações. Disse também que não faz promessas e que “acredita na força dos trabalhadores”.

Everaldo Dias Pereira, o Pastor Everaldo, do PSC, se posicionou contrário à legalização das drogas e disse que o País vive uma “inversão de valores”. “Cidadãos do bem estão presos em casa enquanto bandidos estão soltos nas ruas”, afirmou. Ele também defendeu a terceirização dos serviços públicos. 

Pelo PV, Eduardo Martins Alves Sobrinho, destacou que o partido faz política com alegria, mas com seriedade. Na propaganda, o partido também fez uma homenagem a Eduardo Campos, que morreu de maneira trágica, mas destacou o nome de Eduardo Jorge.

A fundadora do PSOL e candidata à presidência, Luciana Krebs Genro, destacou uma frase muita ouvida nas manifestações populares: “O povo acordou”. “Pagamos por tudo, mas os serviços públicos são ruins. A minoria é privilegiada”, disse. 

Deputados
Após as propagandas dos presidenciáveis, foram exibidas as dos candidatos ao cargo de deputado federal. O único concorrente de Indaiatuba que apareceu no primeiro dia de exibição do horário eleitoral gratuito, embora de forma breve, foi o vereador e candidato a deputado federal, Carlos Alberto Rezende Lopes, o Linho (PT). Ele destacou sua defesa pelos animais e o slogan “Indaiatuba + Forte”.