Governo do Estado prorroga fase de transição do Plano SP até o dia 30 deste mês

Centro de Contingência recomenda que municípios com mais de 90% de ocupação em UTIs avaliem a necessidade de estabelecer medidas mais restritivas para o setor econômico

Por Patrícia Lisboa

O governo do Estado de São Paulo prorroga a fase de transição do Plano São Paulo, que encerraria no próximo dia 14, para o dia 30 deste mês. As regras atuais, como funcionamento das atividades econômicas das 6h às 21h, com 40% de ocupação, ficam mantidas no novo período.

Porém, o Centro de Contingência da Covid-19 no Estado recomenda que os municípios que estão com mais de 90% de ocupação dos leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), exclusivos para pacientes contaminados pelo coronavírus, que avaliem a necessidade deles mesmo estabelecerem medidas mais restritivas para o setor econômico. Uma sugestão é a redução do horário de funcionamento das atividades econômicas.

“O Centro de Contingência sugeriu ao governo a redução de horário de funcionamento de determinados setores econômicos, comércio, em algumas regiões. Então, o governo encaminhará aos municípios que estão com uma taxa de ocupação acima de 90% dos leitos de UTI, para que os próprios municípios avaliem a necessidade, a pertinência, de tomar medidas mais restritivas do que aquelas que já estão estabelecidas no plano de contingência do Estado de São Paulo. Ficará aos municípios essa recomendação de avaliação de medidas, como essa sugerida de redução de horário de funcionamento, e outras que o município achar pertinente, para o mais efetivo combate à pandemia”, disse o o coordenador executivo do Centro de Contingência, João Gabbardo, em entrevista coletiva, nesta quarta-feira (9/6).

O coordenador do Centro de Contingência, Paulo Menezes, destacou que o momento é de alta transmissão do coronavírus, especialmente em algumas regiões do interior do Estado, que apresentam taxas mais significativas de casos de covid-19 e de internações por causa da doença.

“A recomendação para toda a população continua: é preciso muito cuidado, muita colaboração. Não podemos ter aglomerações de forma alguma, precisamos continuar com todas as medidas que reduzem as chances a transmissão do vírus, incluindo o distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos”, reforçou Menezes. “As pessoas podem, sim, retomar o seu trabalho, com todos os protocolos, mantendo os cuidados”, ponderou.

INDAIATUBA

Indaiatuba chega ao total de 589 mortes em decorrência da covid-19, com mais cinco confirmados, nesta quarta-feira (9/6). Também foram registrados 81 novos casos da doença, totalizando 22.593 contaminações desde o início da pandemia.

A Secretaria Municipal de Saúde informa que, hoje, há 124 pessoas com sintomas de síndrome respiratória internadas, nas alas para a covid-19, no sistema de saúde de Indaiatuba, sendo que 105 delas já têm a confirmação da doença.

Do total de internados, 80 estão em leitos clínicos em enfermarias e 42 estão em leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 100% no Haoc e de 100% no Hospital Santa Ignês. Os leitos alugados pela rede municipal de saúde em hospital particular, fora da cidade, estão todos ocupados hoje.

Nas enfermarias, as taxas de ocupação são de 100% no Hospital Santa Ignês e de 100% no Haoc. Não tem leitos alugados em enfermarias.

Os índices de ocupação dos leitos de UTI e enfermaria são os mesmos há três dias seguidos.

FILA DE ESPERA

No momento, 15 pessoas aguardam vagas para serem transferidas para a UTI do Haoc e 34 esperam vagas para serem internadas na enfermaria. No Hospital Santa Ignês, quatro pessoas aguardam vagas na enfermaria.