Indaiatuba começa a fazer barreiras sanitárias e a usar drones para flagrar festas clandestinas hoje à noite

Medida é adotada na RMC, para reduzir a circulação de pessoas de fora de cada um dos 20 municípios

Por Patrícia Lisboa

As barreiras sanitárias começam a ser feitas nas entradas de Indaiatuba, na noite desta sexta-feira (26/3). A medida é adotada pelas 20 cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC), para reduzir a circulação de pessoas fora de cada município, principalmente da capital paulista, que terá feriado prolongado entre hoje e 4 de abril. Algumas cidades da região, como Campinas e Santa Bárbara D’Oeste, já iniciaram a operação hoje, durante o dia.

Em Indaiatuba, além da barreira sanitária, a Secretaria de Segurança Pública fará a fiscalização de festas clandestinas nas regiões de chácaras, por meio de drones, e aplicará multa caso encontre irregularidades.

O Departamento de Vigilância Sanitária também fará ações de orientações em mercados, farmácias e padarias.

"Em relação à barreira sanitária, a ideia é abordar os carros para questionar a entrada na cidade e orientar os riscos de infecção pela covid-19”, explica a Prefeitura de Indaiatuba.

“Não é uma medida de lockdown, mas de restrição com a finalidade de desestimular que as pessoas saiam de casa. Será uma forma de abordar e conscientizar quem for parado. Neste primeiro momento, não haverá penalidades. Profissionais do serviço essencial como da saúde serão liberados com apresentação da identificação funcional”, afirma a Prefeitura de Campinas.

Na manhã desta sexta-feira, primeiro dia da operação com barreiras sanitárias nos principais pontos de acessos rodoviários a Campinas, 263 veículos foram abordados por agentes de segurança. A ação começou às 8h e contou com a participação da Guarda Municipal, da Polícia Civil e da Emdec. Quatro pontos foram fiscalizados: avenidas Prestes Maia, Francisco de Paula Souza, Lix da Cunha e Júlio Prestes (Heitor Penteado). 

As principais alegações dos motoristas abordados foram de que estavam em deslocamento para o trabalho. Três pessoas disseram estar a caminho de consultas médicas no município. Nesse primeiro dia, apenas veículos com placas da capital do estado e de outras cidades da Grande São Paulo foram abordados, em Campinas.