Os bastidores da política de Indaiatuba

Na sessão de ontem (8/5), teve “alfinetadas” entre os vereadores Cebolinha e Arthur Spíndola

Bateu, levou

Na sessão ordinária da Câmara de Indaiatuba ontem (8/5), os vereadores aprovaram o projeto de lei nº 35/2017, que permite que a Prefeitura venda, sem licitação, dois terrenos públicos, que são vielas de passagens, para interessados que são vizinhos das áreas. Segundo a Prefeitura, por se tratar de terrenos pequenos, de 58 metros quadrados, localizados no Jardim Regina, é impossível a utilização deles para qualquer finalidade pública. Por isso, a venda.

O valor de cada terreno é de cerca de R$ 41,1 mil e o pagamento poderá ser feito em até 36 parcelas mensais e consecutivas.

Uma emenda do vereador da Oposição, Arthur Spíndola (PV), também aprovada, relaciona quem são os vizinhos das áreas. Na justificativa do voto (a favor do projeto), Arthur disparou: “Não tolero qualquer projeto que não for dentro da legalidade”.

O líder do governo, o vereador Luiz Alberto Pereira, o Cebolinha (PMDB), retrucou: “A emenda apresentada não altera em nada o projeto de lei, já que a venda dos terrenos, (por lei), só pode ser feita aos vizinhos. A crítica do Arthur é violenta porque não há nenhuma ilegalidade no projeto e nós (da Situação) só faremos aquilo que for legal. Estou aqui há seis mandatos e não é só por causa da chegada do senhor que eu mudaria a minha forma de votar”.

O projeto de lei e a emenda foram aprovados por unanimidade.   

“Tempestade em copo d´água”

O Blog da Pimenta publicou no dia 27 de abril, que o vereador Ricardo França (PRP), da Oposição, questionou o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) sobre o fornecimento gratuito de água com caminhão pipa para a empresa JL Veículos. Como consta na matéria, o vereador disse que água potável foi usada para lavar a calçada do estabelecimento, no dia 16 de março, um dia após um forte temporal. Tanto o Saae quanto a empresa disseram que tratou-se de medida emergencial para limpar a sujeira deixada pelo temporal (na rua e calçada) e evitar acidentes. Questionado pelo Blog da Pimenta ontem (8/5) se tomaria mais alguma medida sobre o caso, além do pedido de explicações ao Saae, Ricardo França, concluiu: “Não posso fazer tempestade em copo d´água”.

“Guerra das Indicações”

Uma indicação do vereador Alexandre Peres (SD), que foi lida na sessão ordinária da Câmara ontem (8/5), gerou chiadeira nos corredores da Casa. Na indicação – que nada mais é que uma sugestão para o Executivo – Peres, que é da Oposição, pede que seja implantado o projeto “Vizinhança Solidária”, da Guarda Civil, nos bairros Campo Bonito, Jardim das Andorinhas, Tucanos e nos futuros loteamentos da cidade. Acontece que a medida já foi sugerida e até discutida com moradores dos três bairros e representantes da Guarda, Polícia Militar e Conselho Municipal de Segurança (Conseg), em reunião organizada pelo vereador Jorge Luís Lepinsk, o Pepo (PMDB), da Situação, no Plenarinho da Câmara, no dia 24 de abril, como noticiou o Blog da Pimenta. É a “guerra das indicações”. Por conter, principalmente, demanda das bases eleitorais, as indicações até parecem a medição da produção parlamentar. Será? E nem vou citar as moções, e moções e mais moções...

Comentário

O vereador Alexandre Peres fez contato com o Blog da Pimenta na tarde desta terça-feira (8/5) e disse que apresentou (na Secretaria da Câmara) a indicação para a implantação do programa "Vizinhança Solidária" antes da reunião organizada pelo vereador Pepo, embora a leitura tenha sido feita na sessão de ontem. "Naquele momento, eu nem sabia da tal reunião. Mas, o importante é que, se der certo, quem ganha é a cidade, não podemos nos esquecer disso”, disse.