Os “jogos” continuam após a Copa - OPINIÃO

Enquanto a maioria esmagadora da população está vidrada acompanhando as partidas da Copa do Mundo de Futebol (pela TV porque nos estádios é só para quem pode, diga-se de passagem), os partidos políticos montam suas escalações para os “jogos” eleitorais desse ano, que têm uma importância especial, já que entre os cargos que serão disputados está o de presidente da República. 

Embora ainda sem muita audiência, no campo político, as partidas também começaram. O tom agressivo e as trocas de farpas indicam que a fase dos “amistosos” já passou. Nos estádios, a população tenta dar o seu recado, mas, infelizmente, perde a chance em algumas ocasiões também por causa da agressividade. 

Nas ruas de algumas capitais, os ânimos continuam exaltados. Na quinta-feira da semana passada, por exemplo, novas cenas de selvageria distorceram o propósito de um protesto do Movimento Passe Livre, em São Paulo.

Quando falta coerência, o dano (não apenas material) é de grande monta.  

Nos estádios, a torcida diz em coro: “o Brasil acordou” para o futebol. Espero que, nas ruas e nas urnas, o País também acorde.