Saae implanta coleta seletiva de materiais recicláveis em duas estações da autarquia

A previsão é de que até o final deste ano sejam instalados containers de Coleta seletiva em todas as suas unidades

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Indaiatuba implantou dois pontos de Coleta Seletiva de materiais recicláveis em unidades da autarquia. Uma foi instalada na Estação de Tratamento de Água (ETA 3), localizada no Bairro Pimenta e a segunda na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE - MAC) Mário Araldo Candello, localizada no Distrito Industrial.

A iniciativa da implantação de coleta seletiva nas unidades do Saae é também da Comissão de Meio Ambiente e Qualidade da Água da autarquia.

A previsão é de que até o final deste ano sejam instalados containers de Coleta seletiva em todas as unidades do Saae.

Segundo informações de um dos responsáveis pela ação, o tecnólogo em Gestão Ambiental do Saae, Ildo de Sousa Dias, a sociedade gera uma grande quantidade de lixo, o que traz diversas consequências para o meio ambiente e problemas que interferem diretamente na qualidade de vida das pessoas.

“Para reduzir o impacto desses problemas é fundamental combater suas causas e mudar nossos hábitos de consumo. Uma das adaptações mais simples e fáceis de serem realizadas é a coleta seletiva”, explica o tecnólogo.

Papel, vidro, metal e plástico, são esses os resíduos que o cidadão pode descartar em um Ponto de Coleta Seletiva. A iniciativa permite separar os materiais que podem ser reutilizados e reciclados. Dessa forma, há uma redução considerável na quantidade de resíduos gerada.

“Outro reflexo positivo da coleta seletiva é que a prática ajuda a preservar os recursos renováveis, que servem de matéria-prima para diversos produtos. A prática de coleta seletiva ajuda ainda no aumento da vida útil dos aterros sanitários, uma vez que esse material deixa de ir para os aterros e passa a ser encaminhado para as indústrias de reciclagem, transformando um problema ambiental em matéria prima para novos produtos”, incentiva Ildo de Sousa,

O material recolhido é encaminhado para o centro de triagem da Prefeitura e a renda adquirida com a venda desses materiais deverá ser revertida para projetos assistenciais do Fundo Social de Solidariedade (Funssol), que atende famílias carentes do município.

Para o superintendente do Saae, Sandro Lopes Coral, é muito importante a instalação de pontos de coleta seletiva, já que também funciona como um processo de educação ambiental.

“Na medida em que sensibiliza a comunidade sobre o problema do desperdício de recursos naturais e da poluição causada pelo lixo, mais pessoas aprendem sobre a necessidade da reciclagem. Temos responsabilidade social e ambiental com a população. Por isso, ampliar os locais de coleta e facilitar que a população possa trabalhar a reciclagem e a coleta seletiva, é de extrema importância”, completa o superintendente.