Três toneladas de lixo eleitoral são recolhidas das ruas de Indaiatuba

A equipe de limpeza da Secretaria Municipal de Urbanismo e do Meio Ambiente retirou três toneladas de lixo resultante do primeiro turno das Eleições 2014, em Indaiatuba, realizado no último domingo (5/10).
 
A operação especial montada para a retirada do lixo eleitoral das vias e áreas públicas da cidade foi iniciada na noite de sábado (4/10), com a limpeza em frente aos locais de votação, e foi concluída ontem (7/10).
 
A previsão era que o trabalho seria finalizado somente hoje.
 
A limpeza envolveu a varrição das ruas e a coleta dos papéis que ficaram presos nas gramas e arbustos dos canteiros e das praças, para evitar que fossem levados para as bocas de lobo (em caso de chuva) e poluíssem os córregos e lagos da cidade.
 
A operação especial atendeu a um pedido da Justiça Eleitoral e reduziu um pouco o volume de “santinhos” jogados nas portas das escolas utilizadas como pontos de votações.
 
Até a madrugada de domingo (5/10) foi retirada uma tonelada de “santinhos” nos entornos dos locais de votação. Mas, como aconteceu em eleições anteriores, os cabos eleitorais dos candidatos esperavam a equipe acabar de retirar as propagandas e, logo em seguida, jogavam mais.
 
Inicialmente, as equipes percorreram as escolas e redondezas, onde o volume de lixo era maior, para depois se deslocarem para o restante das ruas e espaços públicos. Todo o material recolhido foi encaminhado para a Usina de Reciclagem.
 
(As informações são de Sirlene Virgílio Bueno, jornalista da Secretaria Municipal de Comunicação Social)

Opinião do blog:
Apesar da operação especial de limpeza da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente, hoje, ainda é possível encontrar “santinhos” espalhados pelas ruas próximas dos locais de votações – como é o caso do entorno da escola estadual Hélio Cerqueira Leite, no Jardim América – tamanho foi o volume de propaganda despejado.

O ideal é que as equipes de campanha eleitoral dos candidatos se conscientizem e parem com essa prática, que, inclusive, no dia da eleição (ainda que na madrugada), é ilegal.

Sabemos que muitos eleitores esquecem de levar a colinha e, de “olho” neles, a prática é – digamos – “ainda mais motivada”.  

Só que, além do risco de poluir córregos, lagos e rios, já que é para lá que toda essa sujeira vai parar, se não for coletada, também pode causar acidentes. 

Ao pisar na papelada, o eleitor pode escorregar, sofrer uma queda e ter de ir para o hospital em vez de ir votar tranquilamente. Na região, casos assim aconteceram, por exemplo, em Campinas e Piracicaba.

Com isso, os candidatos ganham ou perdem votos?

Pergunta fácil e resposta óbvia.

Só falta mesmo consciência.
 
(Foto: Paulo José - Calçadas dos locais de votação ficaram cheias de material de propaganda de candidatos)