Indaiatuba não terá campanha de vacinação contra a raiva em cães e gatos este ano

O Ministério da Saúde ainda não forneceu doses para a imunização dos animais contra a doença

Por Patrícia Lisboa

O Ministério da Saúde ainda não forneceu doses da vacina contra a raiva para intensificar a imunização de cães e gatos, no Estado de São Paulo. Segundo o órgão, foi identificado um problema técnico na produção do produto. Com isso, Indaiatuba – assim como as demais cidades paulistas – não terá a campanha de vacinação contra a doença, este ano.

A Secretaria de Estado da Saúde afirmou que, especificamente para o mês de agosto, solicitou 1,5 milhão de doses da vacina antirrábica para animais, mas que, até o momento, não teve o pedido atendido.

Indaiatuba, inclusive, não possui nenhuma dose da vacina em estoque. A informação é da Secretaria Municipal da Saúde, por meio da assessoria de imprensa. Segundo a Pasta, o município, porém, não registra casos de raiva em animais há 4 anos.

Tradicionalmente, agosto é o período da campanha contra a raiva em animais. Quando a campanha acontece, a vacinação é ampliada para toda a população de cães e gatos das cidades. São instalados postos em diferentes bairros para vacinar os animais. Fora da campanha, se há doses, a vacina é aplicada somente quando há suspeita de raiva; são as chamadas “ações de bloqueio de foco”. 

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Sumaré, por exemplo, informou ao Blog da Pimenta que iniciou a vacinação antirrábica no último sábado (3/8), mas esclareceu que “devido à falta de abastecimento das vacinas por meio do Ministério da Saúde, a ação realizada não é a mesma campanha promovida anualmente por região da cidade, mas sim um bloqueio em áreas onde foram registrados casos de raiva animal, utilizando doses remanescentes da vacina”.

RESPOSTA DO MINISTÉRIO

Questionado pelo Blog da Pimenta, o Ministério da Saúde, por meio da assessoria de imprensa, afirmou, em nota, que as doses para as ações de bloqueio foram enviadas, sem especificar data.

“A pasta adquire doses da vacina antirrábica (VARC), pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (TecPar), em quantidade suficiente para atender a demanda mensal dos Estados para a vacinação de bloqueio de foco, que ocorre quando um animal é diagnosticado com o vírus da raiva. Em 2019, foram enviadas 7 milhões de doses para todo país, sendo 1,5 milhão para o Estado de São Paulo”, diz a nota.

O Ministério ressaltou que atende à demanda mensal solicitada pelos Estados e que estes são os responsáveis por distribuir os produtos aos municípios.

No entanto, o Ministério informou também que foram identificados problemas técnicos na produção da vacina.

“Uma nova entrega da vacina antirrábica (VARC) está em andamento pelo Ministério da Saúde. A pasta aguarda a entrega do laboratório fornecedor, que informou ter identificado problemas técnicos na produção da vacina. O ministério está empenhado em solucionar este atraso junto ao laboratório fornecedor da vacina, e ressalta que as doses serão enviadas aos Estados assim que a produção for normalizada”, informa o Ministério.

VACINA PARA HUMANOS

O Ministério da Saúde informou que não há desabastecimento da vacina antirrábica humana no país.

CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE:

“O Ministério da Saúde informa que não há desabastecimento da vacina antirrábica humana no país. A pasta distribui quatro produtos relacionados à raiva: a vacina antirrábica para animais, para vacinação de cães e gatos; e três produtos para humanos (vacina antirrábica humana, soro antirrábico e imunoglobulina antirrábica).

Neste ano, o Ministério da Saúde distribuiu 810,7 mil doses da vacina antirrábica humana, produzida pelo Instituto Butantan, aos estados, sendo 113 mil para o estado de São Paulo. Cabe esclarecer que a quantidade enviada atende à demanda solicitada pelos gestores locais, que são responsáveis por distribuir os produtos aos municípios. Mensalmente doses são enviadas para garantir o estoque.

Sobre a vacina canina (para cães e gatos), a pasta adquire doses da vacina antirrábica (VARC), pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (TecPar), em quantidade suficiente para atender a demanda mensal dos estados para a vacinação de bloqueio de foco, que ocorre quando um animal é diagnosticado com o vírus da raiva. Em 2019, foram enviadas 7 milhões de doses para todo país, sendo 1,5 milhão para o estado de São Paulo.

Uma nova entrega da vacina antirrábica (VARC) está em andamento pelo Ministério da Saúde. A pasta aguarda a entrega do laboratório fornecedor, que informou ter identificado problemas técnicos na produção da vacina. O ministério está empenhado em solucionar este atraso junto ao laboratório fornecedor da vacina, e ressalta que as doses serão enviadas aos estados assim que a produção for normalizada.”

CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE:

“A responsabilidade da aquisição e distribuição das vacinas antirrábica é do Ministério da Saúde. O Estado apenas redistribui para os municípios, à medida que os lotes chegam a SP.
Especificamente para o mês de agosto, foram solicitadas 1,5 milhão de doses da vacina para animais. Porém, até o momento, o órgão federal ainda não entregou nenhum quantitativo. Tão logo isso ocorra, doses serão enviadas aos municípios.”

Mais informações a qualquer momento.